jan 052012
 

A ViaZap® – Redes e Conectividade tem como objetivo principal divulgar assuntos relacionados ao sistema Gnu/Linux e administração de redes, e outros sistemas operacionais.
No site teremos assuntos, scritps e facilidades para erros comuns e incomuns ocorridos no dia dia de um administrador de redes.
Caso queira participar seja bem-vindo, faça seu cadastro e comece agora a interagir com a nossa equipe.
Convidamos todos a fazer parte da nossa comunidade.

Tráfego do Servidor WebTráfego da Rede Local

viazap-Logo01  logolinuxrs-2013
Seja bem-vindo a ViaZap® – Redes e Conectividade.

abr 242014
 
Introdução

DSpace é um repositório digital construído para indexação, preservação e compartilhamento de produções intelectuais em formato digital, tais como: imagens, artigos, teses, dissertações, vídeos e etc, permitindo a disponibilização destes conteúdos na Internet.

O sistema DSpace é utilizado, principalmente, como repositório institucional e desempenha alguns papéis importantes:

  • Facilita o depósito e a gestão dos documentos;
  • Agiliza o acesso aos documentos através de listas e pesquisas;
  • Aumenta a preservação dos documentos ao longo do tempo;
  • Possibilita a publicação rápida de produções científicas;
  • Aumenta a visibilidade da produção cientifica;
  • Centralização das produções científicas em um único local;
  • Facilita a quantificação de quantos downloads foram efetuados para cada uma das produções e quantas vezes foram visualizadas;
  • Possibilita definir um identificador único para cada documento.

Referências: projeto.rcaap.pt – sistema_dspace.html

A instalação foi construída no seguinte cenário:

  • Distribuição/Versão de S.O: Ubuntu 12.04.4 LTS
  • Aplicação/Versão: dspace-4.1-release
  • Banco/Versão: Banco de dados Oracle 11g release (11.2)
Instalação de dependências

1. Atualize a lista de pacotes dos repositórios do Ubuntu Linux:

$ sudo apt-get upadete Continue Lendo »

abr 232014
 
Instalação e Configuração

Introdução

Como o objetivo é só a instalação do Zimbra, não fiz a instalação do CentOS por entender que já tenham uma Lab com um máquina instalada.

A instalação foi feita do zero, usando a instalação minimal do CentOS, só com o pacotes básicos, pois o Zimbra já inclui todos os pacotes necessários para o seu funcionamento.

Softwares necessários

Para iniciar o processo de configuração, primeiramente precisamos baixar/instalar alguns pacotes. São eles:

  • bind;
  • nc;
  • sysstat;
  • perl;
  • weget;
  • vim;
  • zimbra.

Ao instalar o CentOS, é instalado por default um servidor de e-mail para envio de mensagens locais, o Postfix. Precisamos, assim, parar e remover o Postfix da inicialização, pois o Zimbra já possui o Postfix e, se deixarmos ele rodando, o Zimbra não vai subir.

Sendo assim, vamos parar e tirar o serviço do boot:

# service postfix stop
# chkconfig –del postfix

Agora, vamos instalar os pacotes para podermos iniciar a instalação:

# yum install bind bind-utils nc sysstat perl wget vim

Pronto, agora estamos com o todos o requisitos necessários para a configuração do DNS e a instalação do Zimbra em si. Continue Lendo »

abr 192014
 

Hi folks,

Well, we’ve successfully rolled another good 9.2.1.x point release! Please come and get it from the usual location. Also as usual, the issues we fixed in this release are best described by looking at the list of fixed tickets in the 9.2.1.4 milestone. We improved replication speed, we fixed more issues with CIFS, we brought in some ZFS fixes (addressing the zpool history 100% CPU spin, among other things), and just basically did our best to keep whittling away at the issues that made 9.2.1.3 less than complaint-free.

So, since the bug database does a better job than we ever could of describing what we’ve fixed in 9.2.1.4, let us take this opportunity to talk a bit about the 9.2.1.x series and our plans for 9.2.2! Continue Lendo »

abr 182014
 
Características

PostgreSQL é um SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados) objeto-relacional de código aberto, com mais de 15 anos de desenvolvimento. É extremamente robusto e confiável, além de ser extremamente flexível e rico em recursos.Suas características são:

  • Tamanho máximo do banco de dados: ilimitado;
  • Tamanho máximo da tabela: 32 TB;
  • Tamanho máximo de linha: 1.6 TB;
  • Tamanho máximo de campos: 1 GB;
  • Máximo de linhas por tabela: ilimitado;
  • Colunas máximas por tabela: 250~1600 dependendo do tipo da coluna;
  • Os índices máximos por tabela são ilimitados.

Continue Lendo »

abr 172014
 

Ubuntu 14.04 is the latest Long Term Support release of Ubuntu from Canonical, and is backed by a huge five years of support and security updates. 

But once you’ve downloaded and installed it you may be wondering what to do next. To help, we’ve compiled a list of the top 10 things to do after installing Ubuntu 14.04 LTS.

1. See What’s New

Like any new release of Ubuntu there are a host of new changes, features and updated apps to check out. Not all of these are immediately obvious so they’re easy to miss. We’ve put together a short video, viewable below, that will bring you bang up to speed with all the essential new bits and pieces.

2. Local App Menus

lim

Since Unity was introduced back in 2011 there’s been one pet peeve griped about more than others: app menus being located at the top of the screen.

While this certainly helps save on wasted screen space, it’s not ideal or practical for everybody. For Ubuntu 14.04 developers have added an option to show app menus in application windows.

To enable this:

  • Open up System Settings > Appearance
  • Select the ‘Behaviour’ tab
  • Go to section titled ‘Show Menus for a Window’
  • Check the box next to ‘in the window’s title bar’

Changes are applied immediately. To undo the change click the ‘Restore Default Behaviour’ button.

Continue Lendo »

abr 172014
 

Seguindo o cronograma de lançamento do Ubuntu 14.04 LTS, a versão final do Ubuntu 14.04 está disponível para download. O Ubuntu 14.04 LTS terá suporte por cinco anos para Ubuntu Desktop, Ubuntu Server, Ubuntu Core, Kubuntu, Edubuntu, Ubuntu e Kylin. Todos os outros sabores serão suportados por três anos.

Ubuntu

Entre as novidades da nova versão estão: possibilidade de reduzir ícones e o lançador do Unity abaixo dos 32 pixels, chegando até 16 pixels; escolher se o menu das aplicações ficará no painel principal do Unity ou na própria janela; colocar o nome de usuário no painel junto ao Menu Principal; ter janelas sem bordas e cantos de janelas com Antialiase; visualizar o redimensionamento de janela em tempo real por padrão; selecionar entre as janelas abertas digitando o nome dela no Dash; e usar uma tela de bloqueio do próprio Unity. Continue Lendo »

abr 172014
 
Introdução

Para este artigo, usei o Ubuntu 13.10.

O objetivo, é deixar o Ubuntu parecido com o que se vê nas seguintes imagens:

Linux: Dando uma nova cara ao Ubuntu   Linux: Dando uma nova cara ao Ubuntu   Linux: Dando uma nova cara ao Ubuntu   Linux: Dando uma nova cara ao Ubuntu   Linux: Dando uma nova cara ao Ubuntu

* Obs.: não me responsabilizo por problemas que podem acontecer durante a configuração do ambiente.

Assumindo que você está usando o Ubuntu 13.10, instale o Gnome Shell e outras coisas:

$ sudo apt-get install gnome-shell gnome-shell-extensions gnome-tweak-tool

Opcionalmente, se você quiser transformar o Ubuntu em um verdadeiro Ubuntu GNOME, pode usar o seguinte comando ao invés do anterior:

$ sudo apt-get install ubuntu-gnome-desktop gdm

Quando for perguntado qual gerenciador de login deseja usar, escolha GDM. Mas só se você realmente quiser transformar o Ubuntu em um Ubuntu GNOME. Caso contrário, basta usar apenas o primeiro comando.

Após executar um desses comandos, reinicie o sistema. Na tela de login, antes de logar, escolha o ambiente GNOME. No primeiro login do GNOME, pode ser que demore um pouco para aparecer a área de trabalho.

Agora, instale algumas extensões. Para isso, após logar no ambiente GNOME, pressione a tecla Super (que tem a bandeirinha do Windows) para acessar a Dashboard. Lá, procure por Firefox e clique para abrir.

Acesse o seguinte endereço: https://extensions.gnome.org

Habilite as seguintes extensões, clicando no botão, para mudar de OFF para ON (só funciona com Firefox):

abr 162014
 
Requisitos

1. Servidor Linux Rodando o Nagios:

Testado em CentOS 5.5 e 6.4 x86_64. No entanto, nada impede de ser implementado em outras distros.

2. yowsup:

Este é o ‘cara’ deste artigo.

O que é: escrito em Python, é uma Interface de Linha de Comando utilizada para interagir com o WhatsAPP, para ser mais claro, é um WhatsAPP via linha de comando. Dentre todas as funcionalidades deste, usaremos apenas 3, vistas mais adiante.

3. Um número/CHIP:

Neste caso, um número de Celular. Este será responsável por registrar-se junto aos servidores do WhatsAPP e enviar as mensagens de alertas.

Obs: use um número/chip apenas para esta função. Se registrado posteriormente, via Smartphone, por exemplo, a aplicação deixará de funcionar. Os servidores do WhatsAPP só permitem a utilização/registro em um único equipamento por vez.

4. Dependências:

  • python 2.6 ou superior (python26)
  • python26-libs
  • python26-argparse
  • python26-dateutil

Obs: estou usando CentOS.

* Importante: este artigo não aborda a instalação de um servidor Nagios. Sendo assim, partimos do principio de que você já tem um ambiente com o Nagios funcionando.  Continue Lendo »